terça-feira, 16 de junho de 2015

VACINAÇÃO ATINGIDA

Meta de vacinação não foi atingida em 49 municípios do Pará
Campanha será estendida até dia 19 para alcançar quem não foi imunizado

Quarenta e nove municípios do Pará ainda não atingiram a meta de vacinação de 80% do público priorizado na campanha nacional contra a gripe. Outros 95, incluindo a capital, alcançaram o percentual até ontem (16) de manhã, conforme dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações. A campanha nacional terminou no dia 5 de junho, mas continua em estados e municípios que não chegaram ao índice de cobertura estipulado pelo Ministério da Saúde, com o objetivo de manter o vírus influenza sob controle.

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) recomendou que os municípios com cobertura vacinal abaixo de 80% mantenham a imunização nas unidades básicas de saúde, através de estratégias diferenciadas em busca dos grupos não protegidos. Até às 10 horas de ontem, o Pará havia vacinado 1.215.933 de pessoas contra a gripe, o que representa 82,16% da população-alvo.

Foto: Cesar Perrari/ O Liberal
Uma análise por grupo indica que a vacinação em crianças, gestantes e indígenas está abaixo da meta. No Estado, estão protegidas contra o vírus Influenza: 498.043 crianças (74,83%), 83.127 gestantes (79,71) e 22.092 indígenas (71,61%). Por outro lado, o Pará tem saldo positivo entre trabalhadores de saúde, com 105.133 (93,33%); puérperas, com 16.272 (94,94%); e idosos, com 491.266 (89,41%). Os dados do Programa Nacional de Imunizações são atualizados a cada hora.

PRIORIDADES

São grupos prioritários crianças de seis meses a menos de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores da saúde; povos indígenas; gestantes; puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); portadores de doenças crônicas não transmissíveis, sendo necessário documento que comprove a patologia; população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. A dose só é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados.

A dose não é capaz de eliminar a doença ou impedir a circulação do vírus influenza. No entanto, concede imunidade após 15 dias da aplicação, combatendo os vírus do tipo A/H1N1, A/H3N2 e tipo B, que são responsáveis por 75% das infecções respiratórias. A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). A vacina previne complicações, internações e óbitos por ocasião da doença.

Postador: Manancial de Carajás, com informações de ORMNews

Nenhum comentário:

Postar um comentário