sexta-feira, 8 de maio de 2015

IMPASSE ENTRE VALE/INDIOS

Indígenas e Vale ainda não chegaram a um acordo

Varou quase a madrugada de quinta (7) a reunião iniciada na tarde de quarta-feira (6), entre representantes de indígenas da Reserva Mãe Maria e executivos da Mineradora Vale, na sede do Ministério público Federal (MPF), em Marabá. E, no final, a reunião deu em nada.

Os representantes da mineradora entendem que a partir do momento em que indígenas ocuparam os trilhos da Estrada de Ferro Carajás (EFC), que passa dentro da aldeia, em fevereiro e abril deste ano, foi quebrado convênio entre Vale e indígenas, para repasse de recursos para serem utilizados em áreas de saúde, educação e ações sociais.

A Vale está irredutível. Mantém uma proposta que, para as lideranças do povo Gavião, não dá garantias futuras aos indígenas. Entende a mineradora que o Convênio 330 foi, de fato, rescindido; que seu apoio aos indígenas é mera liberalidade e que vai defender judicialmente essa tese.

Diante disso, os Gavião vão apresentar uma contraproposta à Vale. A empresa se comprometeu a dar uma resposta até o dia 15 de maio. Os indígenas também vão requerer à Justiça Federal que a Vale retome imediatamente o apoio às comunidades até a solução definitiva do impasse, tendo em vista que estão envolvidas questões como direito alimentar na discussão sobre a vigência do convênio.


A situação na Terra Indígena, no caso das aldeias recém-formadas, é grave e preocupa bastante a Fundação Nacional do Índio (Funai), pois atividades como o transporte de estudantes indígenas também estão comprometidas.

Postador: Manancial de Carajás

Nenhum comentário:

Postar um comentário