sexta-feira, 24 de abril de 2015

TERMINOU REBELIÃO

Reféns são liberados por presos após 14 horas de rebelião em Redenção

Juiz e comandante da PM puseram fim à rebelião que começou quinta, 23.
Divulgação/ Susipe Pará (Foto: Na foto enviada pela direção do CRR, cerca de 30 detentos aparecem no telhado da unidade prisional no início da manhã desta sexta-feira.)
Após 14 horas de tensão, chegou ao fim a rebelião de presos com a liberação, por volta de 11h desta sexta-feira (24), de quatro agentes penitenciários feitos reféns no Centro de Recuperação de Redenção (CRR), no sudeste do Pará. A negociação foi conduzida pelo juiz Haroldo Fonseca, titular da 2º Vara Criminal de Redenção, e o comandante do 7º Batalhão da PM. A Susipe informou que os agentes apresentam leves escoriações e foram encaminhados para um hospital, onde serão avaliados por uma equipe médica.

saiba mais
Agentes prisionais são mantidos reféns por detentos em Redenção, PA

A rebelião começou por volta das 21h de quinta-feira (23) e cerca de 160 detentos saíram das celas. Os detentos reivindicaram melhorias no atendimento médico, reclamam da superlotação e pedem agilidade da Justiça no andamento dos processos. Atualmente o CRR custodia 401 internos e sua capacidade é para 120.

Segurança
De acordo com a Susipe, a segurança do presídio será reforçada por homens da Companhia de Operações Especiais (COE) da PM, que foram foram deslocados em aeronaves do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (GRAESP), na manhã desta sexta-feira. Eles irão permanecer no presídio durante a recontagem dos detentos e avaliação de possíveis danos na infraestrutura da unidade prisional.
Os internos identificados como líderes da rebelião cumprirão medidas disciplinares previstas na Lei de Execução Penal.

Rebelião
Segundo a Susipe, um detento da cela 12 do bloco B avisou que estava passando mal e foi retirado por agentes de plantão para atendimento médico. Depois de ser atendido, os servidores retornaram com o detento para o bloco carcerário quando foram atacados pelos presos da cela e rendidos.

Durante o motim, homens do Grupamento Tático Operacional (GTO) da Polícia Militar foram acionados. O juiz Haroldo Fonseca, titular da 2º Vara Criminal de Redenção, participou das negociações junto com o Comandante do 7º Batalhão da PM. A conversa foi suspensa durante a madrugada, mas a negociação foi retomada pela manhã, resultando na liberação dos reféns que levou ao fim da rebelião.

Quatro agentes prisionais - Samuel Saraiva, Reginaldo Fotógrafo, Diego Veloso e Jeison Cleonabi - foram feitos reféns, mas foram liberados sem apresentar agressões físicas.

OS presos reivindicaram melhor assistência na saúde e aceleração nos processos, pois segundo eles, há presos que já poderiam estar em liberdade. Os detentos também reclamaram da superlotação.

Atualmente o CRR custodia 401 internos e sua capacidade é para 120.

Postador: Manancial de Carajás, com informações do G1 Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário